Páginas

O que é Modelismo?

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Além da confusão que se faz com BRINQUEDO, há quem ainda considere como MODELISMO apenas o PLASTIMODELISMO. Existem pessoas, que acham que o PLASTIMODELISMO é o único representante do MODELISMO, sendo as demais áreas para estes consideradas menos importantes. 
O MODELISMO é a representação de um objeto ou figura real em escala. Plastimodelismo é a área do Modelismo em que se destacam os kits plásticos pré-moldados, oriundos de fábricas ou construídos pelo modelista ("Scracth-build"). São peças para encaixar ou colar; para pintar ou não; para representar o original ou transformar; para ser montado em um só modelo, em conjunto ou para montar um Diorama. Incluem-se nesta área os modelos pré-moldados em resina e por "Vacuforming", complementados com materiais diversos como metal, papel, madeira balsa, resina, gesso, massas epóxi etc. O plastimodelista trabalha utilizando muitas técnicas, está sempre experimentando, descobrindo ou aperfeiçoando outras.

Ás vezes é confundido como brincadeira por pessoas que desconhecem o trabalho envolvido e outras vezes chamado de aeromodelismo, por relacionarem erroneamente ao nome da aviação do plastimodelismo, pelo fato de ser uma das maiores e mais conhecida "família" do plastimodelismo. A idéia central do hobby é confeccionar uma réplica em escala reduzida o mais fiel possível ao real, na grande maioria das vezes a partir de um kit moldado em plástico e separado as partes em peças.

É uma atividade que requer paciência, capricho, criatividade e pesquisa. Além de proporcionar momentos de tranqüilidade e diversão, enriquece nossos conhecimentos gerais uma vez que a pesquisa histórica, ou simplesmente a  observação de detalhes técnicos são fatores primordiais para uma montagem de qualidade. Abrange a maior variedade de modelos (categorias): aviões, helicópteros, carros, caminhões, fórmulas e competições, motocicletas, bicicletas, navios, barcos, lanchas, submarinos, astronáutica, espacial, ficção, veículos interestelares, militaria, viaturas e armas, figuras humanas, bustos, animais, trens, construções, obras de arte, e muitas outras. Para cada uma dessas categorias existe uma escala predominante, o que não significa que seja uma só, por exemplo:

Os veículos civis normalmente são encontrados nas escala 1/24 ou 1/25, mas também existem 1/20, 1/18. Na militaria a escala mais usada é na 1/35, mas também existem 1/72 e 1/48. Nos aviões e helicópteros as escalas mais usadas são 1/72 e 1/48 mas também existem outras.

Subdivisões do Modelismo:

DIORAMA:
É uma representação em miniatura, sem movimento, de uma cena que pode ser composta de veículos, blindados, aviões, helicópteros, figuras, ruínas, vegetação, construções, obras de arte e etc. É uma prática auxiliar do Magistério, Engenharia, Arquitetura, Forças Armadas e Policiais, Ações Judiciais e de Socorro, e em inúmeras outras atividades profissionais. Muito usado na área do Plastimodelismo, para criar cenários de batalhas, tropas em descanso ou dando a impressão de movimento, cidades em ruínas e cenas militares diversas inventadas pelo modelista ou baseadas em fotos ou filmes. O Diorama pode ser usado também nas áreas de Ferreomodelismo, Fosforomodelismo, Maquetaria e no Aeromodelismo (um hangar); no Nautimodelismo (um ancoradouro, um porto); no Espaçomodelismo (uma base de lançamento); e também no Automodelismo de Fenda (para representar uma parada de troca de pneus ou figurar uma equipe de manutenção no box).


PLASTIMODELISMO:
Área do Modelismo em que se destacam os kits plásticos pré-moldados, oriundos de fábricas ou construídos pelo modelista ("Scracth-build"). São peças para encaixar ou colar; para pintar ou não; para representar o original ou transformar; para ser montado em um só modelo, em conjunto ou para montar um Diorama ou Vinheta. Incluem-se nesta área os modelos pré-moldados em resina e por "Vacuforming", complementados com materiais diversos: papel, papelão, madeira balsa, etc., ou na construção de um Diorama. Abrange a maior variedade de modelos: aviões, helicópteros, carros, caminhões, blindados, fórmulas e competições, motocicletas, bicicletas, navios, barcos, lanchas, submarinos, astronáutica, espacial, ficção, veículos interestelares, militaria, viaturas e armas, figuras humanas, bustos, animais, trens, construções, obras de arte e etc. Este é um hobby que além da distração e da higiene mental, é cultura, porque ao fazer um modelo em escala, normalmente são feitas pesquisas históricas sobre o modelo real.

AEROMODELISMO:
Área do Modelismo em que são usados: avião a cabo (U-Control); avião R/C (rádio-controlado) - a hélice e a jato; planador a cabo, a elástico e rádio-controlados;  helicóptero e ultraleve (R/C). Alguns aeromodelistas classificam nesta área apenas o avião. O aeromodelismo ainda é classificado por uma grande maioria de adeptos como um esporte.








AUTOMODELISMO:
Área do Modelismo em que estão incluídos os carros, caminhões e Fórmula, com rádio-controle, elétricos e a combustão. Até que se encontre uma classificação própria, inclui-se aqui também as motocicletas rádio-controladas.











AUTOMODELISMO DE FENDA:
Nesta área estão incluídos os carros com motor elétrico que necessitam de pistas. É conhecido por "Autorama", esta sendo a marca de brinquedo. No Japão, Hong Kong, Los Angeles (Estados Unidos), Cingapura e Kuala Lumpur (Malásia), existe uma variação chamada "Racing Mini 4wd", conhecida como "autorama japonês".




ESPAÇOMODELISMO:
Área do Modelismo em que se pratica o lançamento de foguetes e mísseis a propulsão, geralmente recuperáveis com pára-quedas.









FERREOMODELISMO:
Trens elétricos, com controlador de 12 volts, em corrente alternada ou corrente contínua, atualmente também em sistema digital. Inclui-se nesta área a maquete para o seu funcionamento e todos os demais itens das miniaturas ferroviárias. Também pode ser representado em Dioramas.
Junto com o Ferreomodelismo pratica-se o Plastimodelismo, o Fosforomodelismo e outras áreas e técnicas necessárias para a construção da maquete.

FOSFOROMODELISMO:
Área do Modelismo em que são construídos modelos em miniatura usando-se palitos de fósforos, palitos de dentes, palitos de sorvete, varetas de madeira balsa e toda sorte de varetas de madeiras, plástico e arame. A principal prática é representada na construção de pontes, cercas, construções, estruturas de telhados, etc. A palavra Fosforomodelismo
apareceu no Brasil através das instruções da cola PEGAMIL, de Buenos Aires, Argentina, distribuída pela Molybras, São Paulo, SP, tendo sido citada pela primeira vez e publicada no Arte & Modelismo no. 1, de maio de 1992, página 4.

HELIMODELISMO:
Modalidade em que se pratica o vôo com helicópteros, criada recentemente para separar do Aeromodelismo, conforme divulgação nas páginas da revista BRASIL MODELISMO Nº. 2/98.






NAUTIMODELISMO:
Área do Modelismo com prática de construção ou montagem de embarcações a vela ou impulsionadas por rádiocontrole com motor elétrico ou a combustão, feitas de madeira, de metal ou de plástico.








MAQUETARIA:
Esta área é confundida com a construção de Dioramas. Portanto, fica aqui classificada como maquete (ou maqueta) aquela construção que tem movimento (uma maquete ferroviária como a do Ibirapuera e outras; a maquete da Usina de Itaipu e outras na Faculdade de Engenharia da Universidade Federal do Paraná; um presépio com movimento das figuras, etc.). As escolas de engenharia e de arquitetura denominam as construções de edifícios e de casas como "maquete", o que para os modelistas é um "Diorama" porque aquelas réplicas não têm movimento; quando muito são iluminadas. Mas como é vocabulário próprio destas escolas, nós respeitamos.

PRESÉPIO:
Fica neste estudo incluído o presépio. Simplesmente porque é uma ocupação que necessita de muito trabalho, é uma miniatura, e representa uma cena de um fato ocorrido quase dois mil anos atrás. Por isso é Modelismo, podendo ser classificado como Diorama (quando a representação é estática) ou maquete (quando o presépio possui movimento).



Fonte: Tutomania

 
 
 
by AméricaDez
by América Dez