Páginas

Princípio de funcionamento

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Quando se dá a partida no veículo, os pistões do motor sobem e descem. No movimento de descida, é produzida no coletor de admissão uma aspiração (vácuo), que aspira ar da atmosfera e passa pelo medidor de fluxo de ar e pela borboleta de aceleração, chegando até os cilindros do motor.
O medidor de fluxo de ar informa para a unidade de comando o volume de ar admitido. A unidade de comando, por sua vez, permite que as válvulas de injeção injetem a quantidade de combustível ideal para o volume de ar admitido, gerando a perfeita relação ar / combustível, que é chamada de mistura.
Quanto mais adequada a mistura, melhor o rendimento e a economia e menor a emissão de gases poluentes.

Sistema Mono Motronic
A principal característica do sistema Mono Motronic é a existência de uma única válvula para todos os cilindros do motor.
Esta válvula está montada no corpo da borboleta (peça parecida com um carburador). O corpo da borboleta integra outros componentes que no sistema Motronic encontram-se espelhados pelo motor, como o atuador de marcha lenta e o potenciômetro da borboleta, entre outros.
No Mono Motronic, o sistema de ignição também é controlado pela mesma unidade de comando.
As características dos sistemas Motronic e Mono Motronic são semelhantes, diferenciando-se na quantidade de válvulas de injeção de combustível.

Sistema Motronic
O sistema Motronic também é um sistema multiponto. Diferencia-se do LE-Jetronic por possuir, além do sistema de injeção, o sistema de ignição também incorporado na unidade de comando.
Possui a sonda lambda agregada ao sistema de injeção, instalada no cano de escape.
O sistema Motronic é digital. Possui memória de adaptação e lâmpada de anomalia. Em alguns veículos, por não possuírem distribuidor, o controle do momento de ignição (faísca) é comandado pelo sensor de rotação, instalado no volante do motor.
Também no sistema Motronic, a válvula de ventilação do tanque (conhecida como válvula do canister) permite o reaproveitamento dos vapores de combustível, que são altamente tóxicos, contribuindo assim para a redução da poluição, que é a principal vantagem da injeção eletrônica.

Sistema LE-Jetronic
O sistema LE-Jetronic é comandado eletronicamente e efetua a injeção de combustível no coletor de admissão.
A função da injeção é fornecer a quantidade de combustível exatamente dosada, necessária aos diversos regimes de funcionamento do motor. A unidade de comando LE-Jetronic recebe vários sinais de entrada, provenientes dos diversos sensores que enviam informações precisas das condições instantâneas do funcionamento do motor.
A unidade de comando, então, processa essas informações recebidas e calcula o tempo adequado de injeção do combustível através de um sinal elétrico, o qual também é conhecido como tempo de injeção.
No sistema LE-Jetronic, as válvulas de injeção pulverizam o combustível simultaneamente, ou seja, todas são acionadas ao mesmo tempo. Neste sistema a unidade de comando da injeção controla somente o sistema de combustível.
Esse sistema é analógico e, por esta característica, não guarda na memória possíveis avarias que possam ocorrer. Não possui lâmpada de anomalia para o sistema de injeção.

Sistema ME-7
O sistema de injeção eletrônica ME-7 é um dos mais modernos, de última geração. Esse sistema incorpora tecnologia de software baseado em torque do motor. Simplificando seu funcionamento, ele busca a melhor curva de torque do motor com a maior economia possível. Esse sistema possui também um acelerador eletrônico, dispensando o uso do cabo do acelerador. Esse dispositivo instalado no acelerador é um potenciômetro que gera um sinal elétrico, que aciona o corpo da borboleta do motor.

Vantagens:
O Sincronismo entre acelerador e borboleta é imensamente mais preciso, gerando maior conforto, melhor dirigibilidade e segurança para o motorista.
Esse sistema é utilizado na familia Palio 1.3 16V.

Fonte: carronaweb

 
 
 
by AméricaDez
by América Dez